Sous vide aí vou eu

Cada vez mais ando lendo sobre sous vide (“à vácuo” em francês), um método de preparo de proteinas (carnes na grande maioria das vezes) envolvendo embalagens a vácuo e banhos térmicos de baixas temperaturas por grandes tempos (algumas receitas chegam à 48 horas). A grande vantagem é que o produto final perde o mínimo de líquido possível e o ponto do carne é perfeitamente controlável à exaustão pelo controle preciso da temperatura do ‘banho’.
Aí entra a parte complicada do sous vide, controladores térmicos de precisão industriais/profissionais chegam a custar dois mil dólares, modelos domésticos nos Estados Unidos estão na casa dos quinhentos dólares. Brincadeira cara demais.

China and DIY to the rescue! Fear not. Um controlador de temperatura de US$ 18 chinês e uma boa dose de DIY depois, chegaremos em uma versão feita-em-casa. O controlador já chegou, agora é questão de tempo.

Algumas informações básicas: Sous vide primer, Sous vide Steak 101.

A paranóia científica do controle chega nisso: tabela de resultados de cor de carne e perda percentual de peso por temperatura: