Slow stick, meu primeiro aeromodelo em depron

Para quem não sabe, aeromodelismo é algo que me “persegue” desde adolescente. Moleque de tudo, 14 anos, eu guardava dinheiro de mesada para comprar planadores aerobrás, modelos à elástico, etcetera. Aprendi a montar modelos em balsa nessa época: meu grande alegria nessa época foi meu primeiro modelo VCC motorizado com um sassi 15: o motor com certeza ainda está na casa dos meus pais, o aeromodelo em si sucumbiu à um mergulho de bico no chão saindo de um looping depois do cabo afrouxar por conta do vento excessivo.

Agora, dezenas de anos depois, estou voltando ao aeromodelismo: já que rádio controle é algo completamente alienígena para mim (caro demais para mim na época), resolvi voar primeiro um modelo bem fácil de voar, fácil e barato de construir e melhor ainda, fácil e barato de consertar depois das quedas eventuais. Galeria com fotos do processo de construção adiante.

Estou fazendo uma versão caseira do GWS Slow Stick, “vareta lenta”: a fuselagem é simplesmente uma vareta: No original, de alumínio, seção quadrada 10x10mm e 80cm de comprimento. No meu caso, um gomo de vara de pescar de fibra de carbono gentilmente cedido por um amigo pescador.

PS: Depron é XPS (Extruded polystyrene foam), poliestireno extrudado: o material (poliestireno) é o mesmo do isopor, mas a forma de fazer a placa é completamente diferente, + resistente que uma placa de isopor de mesma espessura. Exemplo de depron que todos tem contato: as bandejinhas de frios e cortes de carne do supermercado são XPS.

One thought on “Slow stick, meu primeiro aeromodelo em depron

  1. Só para constar… eu estava presente no dia do acidente com o primeiro modelo um U-Control e certamente EU não teria feito ele voar. Vento em demasia, já tinha soltado uma vez e pousado. Para primeira experiência estava de bom tamanho… mas a excitação era tanta que tinha que dar “mais uma voltinha” e no meio de um looping contra o vento, os cabos afrouxaram e o grande piloto, que ainda não tinha emitido o seu brevet, mesmo com passos para trás, conseguiu apenas que ele não fosse direto com o bico no chão.

    O que não foi contado é que eu reconstruí a parte dianteira pra ele, na maior boa vontade, e isso, ele nem lembra. Seu ingrato!!!

    Espero que essa nova experiência tenha sucesso. Quando vier aqui no Rio vamos em um lugar maneiro pra passar o dia e ainda tem um aeródromo!

    Abraços!!!

Comments are closed.